Classificação Contábil – Sistemática

Os fatos contábeis decorrentes de operações realizadas (vendas, compras, despesas, empréstimos, pagamentos, etc.) devem ser escriturados de imediato na contabilidade, sendo registradas de acordo com a sua natureza e seus respectivos valores.

O ato de especificar essas operações denomina-se “classificação”. Desta forma, classificar uma conta representa debitar ou creditar esta conta de acordo com a operação realizada, e é dessa classificação que nascem os registros nos diversos livros (Diário, Razão, Caixa, etc..) que por sua vez dão origem aos demais demonstrativos (como Balancete de Verificação, Demonstração do Resultado e Balanço Patrimonial).

Inicialmente, temos que saber das alterações que esta operação vai provocar nos elementos patrimoniais, para classificá-la de modo adequado.

As contas são distribuídas em grandes grupos, como Ativo, Passivo e Resultado.

Desta forma, o primeiro passo para determinar o débito ou crédito de certa conta é saber a origem da mesma, se ele é um direito (Ativo), uma obrigação (Passivo) ou representa um elemento de variação patrimonial (Resultado).

Especificando: o Ativo é composto de contas preponderantemente de saldo devedor e o Passivo das contas com saldo preponderantemente credor.

As contas de resultados têm 2 grandes grupos: a de Receitas (saldos credores), e Custos e Despesas (saldos devedores).

O primeiro lançamento que se faz em determinada conta terá que ser de acordo com a sua origem. Uma conta que represente um bem ou direito, seu valor inicial sempre a débito, pois se trata de uma conta do Ativo.

Contas que representam obrigações trata-se de contas do Passivo (crédito). Contas de Resultado são bilaterais – ou seja, custos e despesas debitadas e receitas creditadas.

Exemplificando:

– Recebimento de numerário: débito a Conta “Caixa” pois se trata de um acréscimo ao Ativo. Faz-se o crédito à conta que deu origem ao recurso (Banco Conta Movimento, para saque bancário, ou Duplicatas a Receber, para cobrança de clientes, ou ainda à Receita, no caso de recebimento de juros, aluguéis, etc.)

– Nota fiscal de fornecedor: débito a custo ou despesa (Resultado) e crédito da conta respectiva do fornecedor, pois representa uma obrigação assumida, portanto, Passivo.

Conciliações, Controles e Encerramento das Demonstrações Financeiras. Atualizado de acordo com a Lei 11.638 de 28 de dezembro de 2007. Abrange as principais contas contábeis e tópicos que merecem atenção especial no momento da elaboração das demonstrações financeiras. Cada conta é analisada individualmente e traz o detalhamento para a sua conciliação e os controles internos necessários. Clique aqui para mais informações. Manual Prático de Contabilidade

Mais informações

Pague em até 6x sem juros no cartão de crédito!

ComprarClique para baixar uma amostra!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s