Dupla Contabilidade: e os Honorários?

Por Júlio César Zanluca – contabilista e coordenador do Portal de Contabilidade

2014 nem começou e os contabilistas terão que investir em estrutura, treinamento e contratação de serviços adicionais, para cumprimento do disposto na Instrução Normativa RFB 1.397/2013, que exige a dupla contabilidade para fins de atendimento das normas do Imposto de Renda.

A grande questão, para os contabilistas, é: quem irá pagar por mais este trabalho extra exigido pelas autoridades fiscais?

Sabemos muito bem que as empresas, em geral, tendem a ser avessas a qualquer aumento de custo burocrático. Não basta o contabilista expor sua planilha de serviços e tentar negociar um ajuste de honorários – na maioria das vezes este custo, em todo ou em parte, acaba sendo bancado pelo empreendedor contábil, parte mais fraca na negociação empresarial!

Apesar do contrato de serviços contábeis conter alguma cláusula sobre serviços adicionais, ainda assim a medição dos serviços efetivos nem sempre é muito eficaz. A Receita Federal tem o péssimo hábito de acrescer minúcias às exigências que impõe, e normalmente quem faz os cálculos acaba errando, para menos, a efetiva quantidade de trabalho necessária.

Enfim, mais uma novela do poder público tendo como vítima os contabilistas. As empresas tendem a jogar o problema para os profissionais envolvidos na tributação, a Receita apenas cobra, mas os contabilistas…

Não se trata de fazer campanhas para a eliminação da “dupla contabilidade”, pois sabemos que não haverá retrocesso, já que a função verdadeira desta burocracia é manter a tributação empresarial nas nuvens – objetivo máximo de um órgão como a Receita Federal. Infelizmente os contabilistas não contam com apoio eficaz no Congresso Nacional, e muito menos no Executivo Federal – nossa representatividade é notoriamente menor que os médicos, advogados e categorias profissionais mais politizadas.

O que recomendo para os empreendedores de contabilidade é negociar os contratos de serviços com seus clientes para 2014, inserindo cláusula da “contabilidade dupla”, cujos honorários a serem aferidos (R$/hora de trabalho) estejam em vigor já em janeiro/2014.

Além das horas extras necessárias, há de se considerar custos intensivos que serão necessários, como treinamento, estrutura (mais computadores, programas específicos, manutenção, consultoria, etc.) e riscos.

Adiar o problema, ou esperar que o Congresso Nacional tome a iniciativa em propor outra coisa é apenas ilusão. Contabilista, mobilize-se de imediato para negociar seu contrato! Não caia no prejuízo por mais esta ferocidade tributária!

11 comentários em “Dupla Contabilidade: e os Honorários?

    1. Convenhamos, meus amigos!
      Quanto mais complexa a burocracia fiscal e contábil, mais valorizada será a função do contabilista Afinal, não é pra qualquer um destrinchar esse emaranhado de leis e compromissos a serem cumpridos.
      Uma hora a conta vai ser apresentada e quem sabe não seremos melhor valorizados!
      Argumentos não vão faltar, fiquem tranquilos!.
      Afinal, Contabilidade é pra quem gosta, não é mesmo!
      Um grande abraço a todos

  1. É uma vergonha, estes órgãos públicos, onde só criam Leis, burocratizando cada vez mais, e quem toma na cabeça sempre é o Contador. Peço que o CRC faça campanha de mobilização juntamente com todos os profissionais da área contábil, contra esta vergonha onde damos tudo pronto para Eles, ficarem com gravatinha atras de redutos. Luiz Fernando Borghetti

  2. Não concordo a respeito do fato de não fazer campanhas para eliminação da “dupla contabilidade”, pois, em mina opinião, esta IN é completamente ilegal, sendo que contraria uma Lei de hierarquia superior. Devemos, sim, lutar pelos nossos direitos de contribuintes, nós como contabilistas e também os órgãos que nos representam. Além do mais, não acredito que as empresas suportariam mais estes custo.

  3. REALMENTE, NÓS CONTADORES TEMOS SOFRIDO AS PENAS DESSAS MODERNIZAÇÕES, SEM NO ENTANTO TERMOS O RETORNO POR PARTE DOS EMPRESÁRIOS. E O SINDICATO DA CATEGORIA, FAZ ALGUMA COISA? E O CFC E CRC`S VAI DEIXAR ISSO ASSIM, NÃO VAI FAZER NADA? DE QUEM DEVEMOS COBRAR ISSO? A RESPONSABILIDADE SÓ CAI NA MÃO DO CONTADOR????????????????

    1. A “dupla Contabilidade” irá nos trazer transtornos e prejuiízos, Concordo com o Rony, é necessário que os Órgão de Classe lutem pelos nossos direitos, precisamos de ajuda dos nossos Órgãos de Classe urgente! Isso não pode ficar assim.

  4. Prezados. O caminho para criticar a Receita Federal, é enviar e-mail para o Ministro da Fazenda, Secretário Fazenda, Presidenta Dilma e demais gestores, sempre com cópia para o Senado, Câmara dos Deputados, além do nosso Conselho Federal de Contabilidade que assiste tudo de camarote. Vejamos ainda o caso de agendamento. Este procedimento, é totalmente irregular , uma afronta ao direito administrativo e constitucional art. 37 da CF. O serviços de agendamento, onera totalmente os serviços de uma empresa, por exemplo. Se nós contadores, advogados, tivermos uma tomada de decisão e que dependeremos de agendamento na Receita, somos impedido de tomá-la, porque vai levar até 30 dias para ser atendido pela aquela autarquia. Vamos acionar , quanto mais, melhor.

  5. Vejo nessa choradeira dos contadores uma fraqueza, provavelmente os técnicos da Receita Federal, que são craques em Instruções Normativas, estão dando risadas de todos nós, chegou a hora de todos unirmos e procurarmos valorizar o nosso tão dignificado trabalho, o custo adicional dos serviços terão de ser arcados pelo empresariado, pois eles que são os responsáveis no atendimento das obrigações perante a Receita Federal, certamente os benefícios advindos dessa parafernália legal não será dos Contadores.Enquanto isso nossa classe continua desunida em uma selva de quem salve-se quem puder, Vamos ajudar o nosso irmão, provavelmente ele irá retribuir com a nossa própria sustentabilidade. Atenção CFC e CRC’s, estamos todos precisando de um grande apoio, orientem-nos como vencer mais essa batalha antes que a guerra nos separe.

  6. Desculpem minha falha, digo desatenção, onde se lê: o custo adicional dos serviços terão de ser arcados pelo empresariado, em meu último comentário, leia=se o custo adicional dos serviços terá que ser arcado pelo empresariado…

  7. Os BANCOS cobram tarifas para arrecadarem impostos para os governos. A UNIÃO-ESTADOS E MUNICIPIOS transformaram as empresas em geral em prestadores de serviços gratuitos para suas arrecadações, inclusive impondo multas pela falta de informações repetitivas, onerando os Contadores por mais serviços cuja culpa não cabe aos empresarios.Entendo que as empresas devem estipular tarifas para estes serviços impostos pelo fisco e que deveriam ser executados pelos seus servidores.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s