Exigências Fiscais Sobrecarregam Contabilistas

por Júlio César Zanluca – contabilista e integrante da equipe Portal de Contabilidade

Nos últimos anos, a Receita Federal do Brasil e as Fazendas Estaduais e Municipais vem sobrecarregando o contribuinte empresarial e corporativo, exigindo novas e complexas declarações fiscais, como a DACON, o IOMOV, Escrituração Fiscal Digital, DIMOF, FCONT, Escrituração Contábil Digital, EFD Contribuições, etc.

Este excesso de informações, cruzamentos e detalhamentos tem sido delegado, na sua execução, quase integralmente, aos profissionais de contabilidade e escritórios contábeis. Poderíamos afirmar: hoje os quase 500.000 contabilistas existentes no Brasil estão focados no trabalho de atender os entes públicos fiscalizadores!

Estimo que mais de 80% do tempo útil de um contabilista que esteja no setor privado é destinado a execução de tarefas fiscais, o que evidencia o absurdo que estamos chegando no Brasil: a contabilidade a serviço do fisco, e não das organizações que contrataram seus serviços!

O fisco nada paga aos contabilistas, apenas exige. Infelizmente, não há previsão de reversão desta situação, a curto prazo. O Estado brasileiro está engolindo a classe contábil, distorcendo nossas tarefas e qualificações, e devorando nosso tempo com tarefas que beiram à escravidão, pois as multas aplicadas por falta de declarações fiscais são significativas. Ou seja: entre a tarefa de entregar uma declaração e outra de preparar um demonstrativo gerencial para o cliente, a prioridade é sempre a primeira…

Somente com a união, a pressão dos contabilistas, a participação política e movimento ativo é que nós, contabilistas, conseguiremos reverter este quadro. Sugerimos uma mobilização via twitter, facebook e outras redes sociais, levando e discutindo o assunto primeiramente entre nós, para, em seguida, mobilizar sindicatos e federações no sentido de exigir dos futuros candidatos à presidência da República compromisso público de maior respeito ao nosso tempo, maior dignidade no tratamento do fisco para com nossa profissão e maior participação dos contabilistas nas decisões relevantes do dia-a-dia que nos afetam.

19 comentários em “Exigências Fiscais Sobrecarregam Contabilistas

  1. O Governo, tem usado a classe contábil, para suprir sua deficiência de mão-de-obra para fiscalizar, com tantas obrigações acessórias federais,estaduais e municipais, acabamos trabalhando de graça para dar informações e o mais cruel, ainda corremos o riscos de falhar na entrega, multas pesadíssimas.

    Para a realização de nosso trabalho, estamos dependendo cada vez mais dos profissionais de TI (Tecnologia da informação), ou seja, nossas tarefas estão vazando entre os dedos, perdendo cada vez mais o domínio.

    Estou tentando enviar o sped fiscal de abril, não consigo porque a empresa que nos presta serviços, justifica que falta parametrização, já enviei o do mês de março com erro, terei que entregar novamente a retificadora.Em resumo nossa tarefa de executar os trabalhos esta cada vez mais sendo delegadas para a classe de informatica e responsabilidade continua sendo de quem??? noooosaaaaa…

    Precisamos ser participado nessa nova era da execução contábil,somente nós sabemos onde o calo aperta…

  2. PAZ!!!
    A todos (as),
    Reforço as palavras do Srº Júlio. Precisamos com urgência iniciar uma mobilização nas redes sociais para deixarmos de ser executores de tarefas para os governos e nos tornarmos O PROFISSIONAL CONTABILISTA.

  3. Concordo plenamente com o artigo, acho que o estado deveria remunerar os contadores tendo em vista que somos sugado pelo fisco o tempo todo. Temos que destinar uma grande parte do tempo a estudos da legislação tributária brasileira para atender as demandas fiscais, acho que o fisco deveria bonificar os profissionais contábeis, com mais respeito e reconhecimento aos serviços prestados ao estado.

  4. Descordo ao ponto de vista de que estamos perdemos espaço e e tempo, acho que a classe contábil deveria se unir para se conscientizar de que as mudanças serão inevitáveis, e a mudança deveria já estar sendo feita na forma que o trabalho em sendo executado, o contador não é mais a mão-de-obra de lançamentos, mas sim um orientador, planejador de procedimentos ao seu próprio cliente , prestando consultoria de como gerar a informação correta para a escrituração, Assim evitando o tempo a ser gasto com inúmeras correções de algo que já deveria ser recebido o mais próximo ao correto possível..

  5. CONCORDO PLENAMENTE. É UM ABSURDO!!! NÃO AGUENTO MAIS TRABALHAR DE GRAÇA PARA O GOVERNO! DEIXO NA MÃO QUEM PAGA REALMENTE PELOS MEUS SERVIÇOS, DEIXANDO DE ENTREGAR RELATÓRIOS GERENCIAIS IMPORTANTES PARA TOMADA DE DECISÃO, PARA DAR TEMPO DE SATISFAZER O FISCO.

  6. Infelizmente não temos um sindicato que lute pelo profissional contabilista com um piso salarial, hoje o profissional trabalha 90% para o governo e os empresários sabendo disso querem leiloar o salario oferecendo uma migalha pelos serviços prestados, a nossa classe é tão esculachada quanto a dos professores neste País. Vamos a luta e levantar esta bandeira!

  7. Concordo plenamente também. Apenas penso que devemos pressionar Conselhos e Sindicatos cujos representantes só pensam em política!

  8. Tinhamos sim é ver se cabe um madado se segurança nacional que pudesse resguardar o contabilista no sentido de se suspender a entrega daquelas declarações que nada mais são “informar o que já está informado” – tal qual a DACON e DFD PIS Cofins, entre outras tantas – isso é um abuso ao bom senso.

  9. Fazem décadas que o governo vem usando os contabilistas como empregados, para alimentarem suas arrecadações, classe contábil vamos nos unir, e cobrar isso do governo um tipo de declaração completa é sufuciente para informar ao governo

  10. Como todos os Conselhos Regionais e o Conselho Federal estão “pregando” a todos que 2013 é o Ano da contabilidade no Brasil, está na hora de fazer valer o que é de interesse de toda a Classe Contábil. Lutar realmente pelos nossos direitos a fim de mostrar nosso valor e em consequência disso que nossos clientes dêem realmente o valor que merecemos. E que não sejamos mais explorados pelo Governo.

  11. Na hora certa caiu esse artigo do Zanluca. Empregamos a maior parte do nosso tempo em dar informações repetidas ao Fisco, sobre pena de sermos duramente penalizados economicamente, e o serviços de quem nos paga acaba ficando postergado. Não dá, é como se a banana comesse o macaco.

  12. Tudo que foi dito aqui, assino em baixo. Lamento que essas atitudes tenham demorado tanto para vir à tona. O Estado (em geral) vem escravisando os contadores e nossos Conselhos nada fazem. vamos divulgar esses pensamentos e exigir mais.

  13. Somos omissos, sofremos pressão permanente do fisco como um todo, mais exigência, qualidade, produtividade, em contra-partida honorários irrisórios. Precisamos reordenar nossa profissão, ou então vamos para um hospício, com baixa qualidade de vida, e pouca condição de investimento humano e material. Acordemos todos.

  14. Proponho um movimento da classe em todos os estados brasileiro, uma paralisação geral com propostas de mudança a partir da política, da economia e abertura das empresas para uma gestão participativa dos contadores.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s